Bronquiolite

Publicado por natashamourao em

Bronquiolite

O tema é bronquiolite, doença comum na infância! Causa dificuldade respiratória nas crianças e é responsável por diversas idas ao pronto-socorro ou mesmo internações.

A  bronquiolite é uma inflamação das vias aéreas de origem viral mais comumente causada pelo vírus sincicial respiratório. O VSR é um RNA vírus e acomete as vias respiratórias em todas as idades. A maioria das crianças é infectada no primeiro ano de vida e, virtualmente, todas as crianças serão expostas

ao vírus até o final do segundo ano de idade, com reinfecções durante toda a vida. Entretanto, o acometimento de vias aéreas inferiores, e consequentemente, as formas graves da doença, predominam na primoinfecção.

Epidemiologia

O vírus sincicial respiratorio é o causador da infecção do trato respiratório inferior em crianças abaixo de 2 anos.

Fatores de Risco

Prematuridade, doença cardíaca, doença pulmonar são fatores que agravam o quadro de bronquiolite.

Via de transmissão

O VSR atinge o trato respiratório através do contato direto com secreções respiratórias de pessoas infectadas ou através de superfícies ou objetos contaminados. A infecção ocorre quando o material infectado atinge o organismo através da membrana mucosa dos olhos, boca e nariz ou pela inalação de gotículas derivadas de tosse ou espirro.

A infecção caracteriza-se fundamentalmente por seu caráter sazonal, predominante no inverno e início da primavera, e com duração de cerca de 4 a 6 meses, dependendo das características de cada país ou região

Prevenção

Para previnir a disseminação  da doença é importante  lavar as mãos, uso de luvas, capotes e equipamentos de proteção individual para os profissionais de saúde  que vão cuidar do paciente com bronquiolite e assim evitar propagação em ambiente hospitalar.

Diagnóstico

O diagnóstico da bronquiolite é principalmente clínico, baseado nos sinais e sintomas da doença, não havendo indicação rotineira do uso de testes específicos de detecção viral. Temos os seguintes testes:  Isolamento do vírus em cultura de tecido, detecção de antígenos virais, detecção de sequências de ácidos nucleicos específicos por ensaios de amplificação, predominantemente reação em cadeia da polimerase em tempo real (PCR-TR) e sorologias.

Tratamento

O tratamento consiste em suporte para melhora clínica como oxigenioterapia e nutrição adequada. Não é recomendado uso de corticoides, broncodilatadores e fisioterapia, pois não apresentam evidencia cientifica de melhora.

Categorias: Pediatria

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *